AO PORVIR

AO PORVIR

 

Nova Era!… Novos tempos!…

Tempos novos – esperanças renovadas!

Reforma-se o homem…

Burila-se a conduta moral…

Elevam-se ideais…

Afirmam-se posturas no Bem…

Acelera-se a dinâmica da Caridade…

A Verdade ilumina…

O Dever impõe…

A Responsabilidade domina…

A Fraternidade agrega…

A União mostra-se eficaz…

A Sabedoria cresce…

As horas são bem utilizadas e a esperança é chama viva da confiança em Deus!

Adentraremos, assim, os portais do milénio próximo, quando a Terra já terá assestadas suas metas espirituais, rumo à regeneração da Humanidade.

Aprestam-se, pois, Missionários da Luz, nos campos da vida, afanosos no campo da grande ceifa, joeirando o trigo em detrimento do joio.

As fogueiras da grande assepsia espiritual estão acesas, demarcando nos fastos da transição histórico-moral, por que passa o Orbe, as fronteiras da Nova Era.

Conscientizemo-nos das determinações celestes.

Não há tempo a perder…

Ajustemo-nos ao Bem; ou o Mal, por nossos atos, segregar-nos-á em outras paisagens da vida, noutro ambiente, em outros mundos, pois há muitas moradas na Casa do Pai.

A mensagem renovadora da Boa Nova é sempre atual para nossas vidas;

A luz convoca;

O Bem alerta;

O Amor aguarda.

Movimentemo-nos operosos.

Hoje é nosso tempo!

Quem adia compromissos frustra-se em desenganos.

Com o consentimento da razão esclarecida no Evangelho e robustecida na Verdade, e dignificada na Fé corajosa, avancemos no rumo de Deus, laborando e porfiando no plantio de Luz em nossos corações.

O momento presente não se coaduna com indefinições de nossa parte.

Escolhamos o melhor para nossos destinos, certos de que se o mundo em crises de medo e de dor nos enfatiza Mamon, o Evangelho Redivivo nas bênçãos consoladoras da Doutrina Espírita, pela perenidade dos ensinos de Jesus, aponta-nos o porvir, conclamando sempre: Deus!

 

PAIVA MELO

 

(Página psicografada em reunião pública da Casa Espirita Cristã – Vila Velha, ES, em 7.9.87, pelo médium Júlio Cézar Grandi Ribeiro. Transcrito de “O Reformador” de março de 1988)

 

Antonio Paiva Melo (1921-1983) era natural de Garanhuns, PE. Serviu ao Exército como graduado, sendo transferido para a reserva quando Subtenente, em 1964, sendo promovido a 1° Ten R/1. Advogado, economista, técnico de administração, contabilista, professor universitário e jornalista, Paiva Melo foi, também, líder espírita de inegáveis méritos, emprestando o brilho de sua colaboração à várias entidades e, em particular, ao Movimento de Unificação no Estado do Rio de Janeiro, de cujo órgão federativo foi Presidente.