Lei de justiça, de amor e de caridade

Por Moacir Wilson De Sá Ferreira

“Qual o verdadeiro sentido da palavra caridade, como a entendia Jesus?

“Benevolência para com todos, indulgência para as imperfeições dos outros, perdão das ofensas.”

(O Livro dos Espíritos, questão 886)

Chegamos ao final dessa série de posts que

destacaram as principais ideias das perguntas e respostas que formam a “Parte Terceira”, de o Livro dos Espíritos, intitulada “Das leis morais”.

Refletimos sobre as Leis de Adoração, do Trabalho, da Reprodução, de Conservação, de Destruição, de Sociedade, de Progresso, de Igualdade e de Liberdade.

Vamos à Lei de justiça, de amor e de caridade:

– “A justiça consiste em cada um respeitar os direitos dos demais.”

– “Disse o Cristo: Queira cada um para os outros o que quereria para si mesmo. No coração do homem imprimiu Deus a regra da verdadeira justiça, fazendo que cada um deseje ver respeitados os seus direitos.”

– “Tendo os homens formulado leis apropriadas a seus costumes e caracteres, elas estabeleceram direitos que podem ter variado, com o progresso das luzes.”

– “A vida social outorga direitos e impõe deveres recíprocos.”

– “O limite do direito que, com relação a si mesmo, reconhecer ao seu semelhante, em idênticas circunstâncias e reciprocamente.”

– “Os direitos naturais são os mesmos para todos os homens, desde os de condição mais humilde até os de posição mais elevada.”

– “Proibindo-nos que façamos aos outros o que não desejaríamos que nos fizessem, a lei de amor e de justiça nos proíbe, ipso facto, a aquisição de bens por quaisquer meios que lhe sejam contrários.”

– “O amor e a caridade são o complemento da lei de justiça, pois amar o próximo é fazer-lhe todo o bem que nos seja possível e que desejaríamos nos fosse feito. Tal o sentido destas palavras de Jesus: Amai-vos uns aos outros como irmãos.”

– “A caridade, segundo Jesus, não se restringe à esmola, abrange todas as relações em que nos achamos com os nossos semelhantes, sejam eles nossos inferiores, nossos iguais, ou nossos superiores.”

– “O homem verdadeiramente bom procura elevar, aos seus próprios olhos, aquele que lhe é inferior, diminuindo a distância que os separa.”

– “Amar os inimigos é perdoar-lhes e lhes retribuir o mal com o bem.”

– “A verdadeira caridade é sempre bondosa e benévola; está tanto no ato, como na maneira por que é praticado.”

– “Amai-vos uns aos outros, eis toda a lei, lei divina, mediante a qual governa Deus os mundos.”

– “Sede indulgentes com os defeitos dos vossos semelhantes. Em vez de votardes desprezo à ignorância e ao vício, instruí os ignorantes e moralizai os viciados.”

Encerramos com a questão 879 do Livro dos Espíritos:

– “Qual seria o caráter do homem que praticasse a justiça em toda a sua pureza?

O do verdadeiro justo, a exemplo de Jesus, porquanto praticaria também o amor do próximo e a caridade, sem os quais não há verdadeira justiça.”

Por Moacir Wilson De Sá Ferreira

Veja o artigo anterior – Lei da Liberdade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *