Lei de Igualdade

Por Moacir Wilson De Sá Ferreira

“É lei da Natureza a desigualdade das condições sociais?

Não; é obra do homem e não de Deus.”

(O Livro dos Espíritos, questão 806)

Seguimos destacando as principais ideias das perguntas e respostas que formam a “Parte Terceira”, de o Livro dos Espíritos, intitulada “Das leis morais”.

Nos posts anteriores destacamos as Leis de Adoração, do Trabalho, da Reprodução, de Conservação, de Destruição, de Sociedade e de Progresso.

O benfeitor espiritual Emmanuel afirma que “a igualdade, sem dúvida, é a realidade nas raízes da existência. Todos os seres possuem direitos idênticos de acesso à elevação, sob qualquer prisma (…)”

Vamos à Lei de Igualdade:

– “Todos os homens estão submetidos às mesmas leis da Natureza. Todos nascem igualmente fracos, acham-se sujeitos às mesmas dores e o corpo do rico se destrói como o do pobre. Deus a nenhum homem concedeu superioridade natural, nem pelo nascimento, nem pela morte: todos, aos Seus olhos, são iguais.”

– “Deus criou iguais todos os Espíritos, mas cada um deles vive há mais ou menos tempo, e, conseguintemente, tem feito maior ou menor soma de aquisições.”

– “Deus, portanto, não criou faculdades desiguais; permitiu, porém, que os Espíritos em graus diversos de desenvolvimento estivessem em contato, para que os mais adiantados pudessem auxiliar o progresso dos mais atrasados e também para que os homens, necessitando uns dos outros, compreendessem a lei de caridade que os deve unir.”

– “Só o Espírito é mais ou menos puro e isso não depende da posição social.”

– “Em tudo existe o equilíbrio; o homem é quem o perturba.”

– “Os homens se entenderão quando praticarem a lei de justiça.”

No próximo artigo vamos conhecer um pouco mais sobre a  “Lei de Liberdade”.

Por Moacir Wilson De Sá Ferreira

Veja o artigo anterior – Lei do Progresso

Veja o próximo artigo – Lei da Liberdade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *